Eu “Bem te vi”

O som que me agradava os ouvidos, era de um filhote de Bem-te-vi. Na procura pela sua mãezinha meu cão caçador o abocanhou. Só soltou com meu grito e o último suspiro foi nas minhas mãos. Essa espécie, também conhecida pelos índios como triste-vida. Pensei, como a minha. Não me queixava, mas a monotonia dos dias me […]

Leia mais Eu “Bem te vi”
Destaque

Vestida de Blues

Foto de Maurício Mascaro no Pexels “Tantos homens me desejam e nenhum me seduz. Sedução não é apaixonar-se. Mas esse dia sai vestida de sedução e pronta para matar, em caso de necessidade.” Tamborilava os dedos sobre a mesa de bar. Impaciente. O copo nunca vazio, levou aos lábios tantas vezes eu observei seu rosto. […]

Leia mais Vestida de Blues
Destaque

Alguém sem reticências

Se não me levar para jantar e nem souber cozinhar, então admire-me enquanto preparo a refeição vestida só com avental. E converse comigo sobre quase tudo ou tudo que nos convêm. Olhe-me na alma com a alma, devorando-me. Tocando-me onde mais ninguém conseguiu. Junte-se a mim na dança ou aprecie meu corpo semi nu no […]

Leia mais Alguém sem reticências

Destruída pela luxúria

“Finjo, de batom nem sempre do mesmo tom, que está tudo bem, que sei andar de salto. Não caio e nem tropeço. Mas espero que até ao fim do dia, eu tenha pelo menos, um abraço. Porque quando a madrugada surge, vem junto com o silêncio do meu corpo. E quando todos pensam que minha […]

Leia mais Destruída pela luxúria

Fragmentos de um Réveillon

E quando o fim de ano chega, me parece tudo tão nostálgico. Talvez o clima natalino estampado em cada esquina me faça lembrar que nunca tive infância. A única boneca de pano eu dividia com a irmã mais nova e entre brincar de esconde-esconde, me escondia do pai, se é que pode chamar assim, alguém […]

Leia mais Fragmentos de um Réveillon

Comidinha de fim de noite

Meu avô, descendente de Italianos, da Calábria, província catanzaro, sim, de pele morena queimada do sol e sangue quente. Como se não bastasse a meia dúzia de filhos que teve com a esposa, garantiu mais três com a amante. O charme quase inexplicável de um homem simples e de meias palavras bastava para que seduzisse […]

Leia mais Comidinha de fim de noite

Riscos e Rabiscos

De repente foi ficando cada vez mais fácil aceitar. Todo e qualquer pesadelo que viesse do seu lençol. Lembrei o que eu fazia enquanto me despia. Sem erros. Sem medidas. Só uma penumbra. Cobria retorcidamente nossos corpos. Ele rabiscou meus olhos num pedaço de papel, sem a mesma intensidade do mar. Escondido do lado esquerdo […]

Leia mais Riscos e Rabiscos

Entre amores

Dias de dissabores, eu me protegia entre os lençóis tão sozinha dos meus amores. Nem ele, nem outros, nem tantos poderiam saber o que eu trazia no peito e gritava entre aquelas paredes. Eu tinha tantos e ao mesmo tempo, nenhum. Por que na hora mais escura, no dia mais calmo, nenhum calor humano me […]

Leia mais Entre amores
Destaque

A janela da mansão

Vanessa não tinha desapegos. Aos 18 anos já controlava sua fortuna e seus desejos. As janelas proeminentes do seu quarto facilitavam ao João, o caseiro, presenciar suas obscenidades. Não fosse um homem cheio de histórias para contar, ficaria mais chocado que excitado com Vanessa. Deliciava-se quando ela convidava a amiga morena de seios fartos para […]

Leia mais A janela da mansão