Destruída pela luxúria

“Finjo, de batom nem sempre do mesmo tom, que está tudo bem, que sei andar de salto. Não caio e nem tropeço. Mas espero que até ao fim do dia, eu tenha pelo menos, um abraço. Porque quando a madrugada surge, vem junto com o silêncio do meu corpo. E quando todos pensam que minha […]

Leia mais Destruída pela luxúria

A tal da felicidade virtual

Antes mesmo do amanhecer, quando o sol ainda nem apareceu no horizonte Nicole já se conectava ao seu celular, ritual diário. E isso significava a todas as redes sociais possíveis. Vício atual. O bebê parou de resmungar para encher o pulmãozinho e lamentar num choro alto para se fazer lembrado. Já era mulher madura, mas […]

Leia mais A tal da felicidade virtual

Sem rosto

Na mesma cama muitas se deitam. Deleitam-se. Hoje sei que nenhuma tem a minha estupidez. Nem meus olhos silenciosos E loucos os que não tem minha lucidez. E nesse jeito perigoso de aceitar Vou me desconcertando para não tentar. Homens daqueles que derrubam minha sensatez, Donos de um jogo que não sei jogar. Conhecedora da […]

Leia mais Sem rosto

Como se fosse a primeira vez…

Ingenuidade virginal ainda, em seus 15 anos, Paty apaixonada por cinema, não podia ter arrumado melhor namorado que um dono de vários cinemas da sua cidade. Mais velho, experiente e bem dotado. Talvez não precisasse ser tão bem dotado. Porque a primeira vez pode ser lembrada exclusivamente pela dor. Não há prazer nenhum depois do […]

Leia mais Como se fosse a primeira vez…
Destaque

Meu cardigã transparente

Ainda podia sentir o gosto do seu sêmen quando, um tanto desajeitado e eu desavisada descobri que toda nossa história não teria fim. E se resumia em mentiras. Cobri a nudez do meu corpo com um cardigã transparente, como pensei que era nossa relação. Discreta, mas transparente. Teu egocentrismo e a maneira de ver a […]

Leia mais Meu cardigã transparente